top of page

Queres ganhar mais dinheiro? E se começasses o teu negócio?

Desde sempre, o empreendedorismo e a vontade de lançar um negócio próprio esteve enraizada nos objetivos de algumas pessoas e das mentes dessas pessoas surgiram os grandes negócios e grandes empresas que conheces e fazem parte do teu dia a dia. E tu? Fazes parte deste grupo de pessoas? Já pensaste em começar o teu próprio negócio? Se a tua resposta a esta questão é "sim" então este artigo tem como objetivo dar-te algumas luzes e ideias para começares a orientar o teu projeto e, quem sabe, levares o mesmo até ao sucesso.


Queres ganhar mais dinheiro? E se começasses o teu negócio?

Antes de mais, um pequeno aparte. O seres empreendedor não quer dizer que tenhas de começar um negócio próprio. Podes empreender na tua própria empresa ou organização onde trabalhas e isso não é, de forma nenhuma, menos valioso. Basta ir ao dicionário e ver que "empreender" significa:

1. decidir realizar algo (obra, negócio, tarefa, etc.) difícil ou perigoso; intentar

2. dar início a; pôr em execução; levar a cabo


No entanto, para este artigo vamo-nos focar na criação do teu próprio projeto.


Começar o teu próprio negócio pode parecer um bicho de sete cabeças mas, na verdade, dar os primeiros passos depende apenas de responderes a uma sequência de questões.


Como pensar no teu novo negócio?


O primeiro grupo de questões vai-te mostrar se realmente queres (ou deves) começar o teu próprio negócio, e essas questões são:

  1. Porque queres fazê-lo?

  2. Como queres fazê-lo?

  3. O que vais fazer?


Esta forma de pensar é apresentada como "Golden Circle" do Simon Sinek e podes ver mais detalhes aqui: Como os grandes líderes inspiram à nação. Se pensares, isto parece estar meio invertido do pensamento tradicional em que se começa com "o que quero fazer". O objetivo deste modelo é realmente inverter esse pensamento e focar no "porquê". Qual é o teu objetivo com o negócio? Porque é que isto é importante para ti? Que impacto queres fazer no mundo? Se tiveres isso bem definido, torna-se a tua missão e tudo o resto vem a partir daí.


Depois começamos a entrar em perguntas mais detalhadas sobre o teu negócio e aí deves colocar as seguintes questões:

  1. Que serviço vou prestar ou que bem vou vender?

  2. Quanto vou cobrar pelo meu bem ou serviço?

  3. De que forma os clientes me vão pagar?


Que produto ou serviço vais vender?


Vamos começar pelo início: o definir qual vai ser o teu negócio e para isto deves responder a quatro questões, habitualmente ligadas a uma metodologia chamada IKIGAI, um conceito japonês ligado a descobrir o propósito da vida, mas que é facilmente aplicado a este mundo do empreendedorismo:

  1. O que sei fazer?

  2. O que gosto de fazer?

  3. O que já me pagam para fazer?

  4. O que precisam as pessoas?


Abre um documento no computador ou agarra numa folha de papel e coloca estas questões e começa a respondê-las. Pode (e, quase de certeza, vai) demorar algum tempo mas irás, muito provavelmente, encontrar respostas que se cruzam entre elas e tens aí a tua ideia de negócio.


Se estás a começar um negócio teu, por favor, escolhe algo que gostes, acima de tudo já que isso te vai dar sempre o alento e a motivação para continuares quando as coisas ficarem difíceis. Se não gostares, se não fores apaixonado por aquilo que vais fazer, então o projeto está condenado à nascença. A resposta a estas perguntas vai-te dar a resposta à questão "Que serviço vou prestar ou que bem vou vender?"


Como ser pago pelo meu trabalho?


Agora que já tens a ideia, se o que queres montar é realmente um negócio, então precisas ser pago por isso. Aqui, para te ajudar a definir um valor deves perguntar-te as seguintes questões:

  1. Quanto vale uma hora do meu tempo?

  2. Que custos vou ter?

  3. Quais os preços praticados pela minha concorrência?


Deves ter particular atenção à última questão visto que a resposta e interpretação pode ser muito subjetiva. Quando analisares projetos ou empresas que façam algo semelhante ao que queres fazer, tem atenção à dimensão desse concorrente. Se for algo já com histórico, muito estabelecido e reconhecido no mercado, naturalmente, que irá praticar valores mais altos. Se encontrares concorrentes mais pequenos e recentes e que, por isso, são naturalmente mais próximos da tua situação, então não tenhas medo em comprar os seus produtos ou serviços para depois comparares o valor que foi cobrado e daí perceber a relação preço/valor. Lembra-te que preço é o que pagas, valor é o que recebes ou entregas. Com toda essa informação podes então definir o teu preço inicial. Se achas que vais começar a vender desde o primeiro dia, desengana-te já que, muito provavelmente, isso não vai acontecer, a menos que o teu produto ou serviço seja algo completamente disruptivo. Tem paciência, mantém-te persistente e confia no processo. Os resultados monetários podem tardar mas aparecem.


Relativamente às duas primeiras questões deste grupo, a resposta já é mais objetiva e calculável. Para o valor da tua hora podes usar o teu emprego atual como referência. Se ganhas 1.000€ e trabalhas 8 horas por dia, 22 dias por mês, então o teu valor hora é de 5,70€ e esta pode ser a tua base. Se estás disposto a trabalhar para outros por 5,70€/hora, então deves estar disposto a aceitar o mesmo para trabalhar para ti próprio, certo? A parte dos custos é altamente variável de acordo com o teu negócio. Deves fazer uma investigação e tentar estimar quanto dinheiro precisas para começar, sendo que se venderes serviços até podes começar com zero euros. Ter um blog e uma página de Instagram é completamente gratuito e uma forma de começar.


Se este cálculo inicial te deixar algo desmotivado e pensares que, por exemplo, trabalhar por 5,70€ não vale a pena para começar então quero deixar-te uma partilha que também consta no meu livro "Pensar, Poupar, Ganhar". A minha primeira sessão de mentoria que fiz, em Agosto de 2020, cerca de 3 meses depois de ter começado o projeto "Finanças dos 90", a base disto que hoje vês aqui, cobrei 7,50€. Fiz a mesma conta que te partilhei acima e se estava a trabalhar para outros, em algo que não me apaixonava verdadeiramente, por esse valor, porque não havia de o fazer para mim mesmo? O que começou por 7,50€ foi crescendo, à medida que o meu conhecimento e o meu valor foram aumentando. Queres saber qual é o meu valor/hora hoje em dia? Carrega aqui. Bastante diferente, não? Na minha opinião, é melhor começar mais baixo, ganhar experiência, reputação, clientes e dinheiro e depois ir subindo do que começar muito alto e demorares muito mais tempo a arrancar ou, no limite, nem conseguires.


Como vais receber dos teus clientes?


A terceira questão é "De que forma os clientes me vão pagar?". Por vezes, esta questão fica esquecida e depois quando aparece o primeiro cliente a querer comprar, ficas sem resposta para lhe dar. Pensa antecipadamente nisto e responde a estas questões:

  1. Qual a forma mais cómoda para o cliente pagar?

  2. Qual a forma mais rápida de eu receber?

  3. Como consigo evitar taxas e comissões?


Num mundo cada vez mais digital e online, é importante disponibilizares formas de pagamento que sigam esta lógica e não fiques apenas dependente da tradicional transferência bancária. Mesmo que aceites pagamento por transferência (que continuam a fazer sentido, claro) tens de definir qual a conta. Usas a tua pessoal e juntas tudo no mesmo bolo? Abres uma nova conta para receber especificamente este dinheiro? Pensa em tudo isso e decide a melhor forma para ti


E aqui tens o resumo dos passos a tomar para lançares o teu negócio. Agora é aplicar. Garanto-te que não vai ser fácil. Vais ter de dedicar muitas horas a isto. O próprio Gary Vaynerchuck, um dos maiores gurus (dos a sério) do Marketing explicou várias vezes que numa fase inicial dedicava várias horas diárias, ele próprio, a responder a todas as mensagens que recebia e a interagir com a comunidade e ecosistema onde se inseria. Por aqui, na minha ainda muito pequena escala, comecei da mesma forma. Ao final de 4 anos subcontratei os primeiros serviços para me libertar de coisas onde não tenho tanta competência e que me estavam a consumir muito tempo. Os resultados dispararam, mas a fase inicial de aprendizagem e de ter feito tudo foram fundamentais para chegar onde estou hoje.


Boa sorte! O que puder ajudar, estou por aqui!


Se fizer sentido para ti, as sessões de mentoria também podem ser aplicadas neste âmbito da criação do teu negócio. Carrega aqui para saber mais sobre estas sessões.


4 comentários

Posts Relacionados

Ver tudo

4 Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
Guest
Jun 19
Rated 5 out of 5 stars.

Excelentes dicas para começar como Solopreneur!

Like
Replying to

Muito obrigado pelo teu comentário :)

Like

Guest
Jun 19
Rated 5 out of 5 stars.

👌

Like
Replying to

Muito obrigado 🙂

Like

Regista-te e recebe todas as novidades

Obrigado pelo teu registo

bottom of page